Suplementação de resveratrol associada a melhor desempenho cognitivo em mulheres

12/03/2019 00:00

Um estudo randomizado, duplo-cego relatado em 03 de janeiro de 2017 na revista Nutrients encontrou uma associação entre a suplementação com resveratrol e melhorias na capacidade de resposta cerebrovascular e desempenho cognitivo entre as mulheres na pós-menopausa entre 45 e 85 anos de idade.

Pesquisadores da Universidade de Newcastle, em New South Wales, Austrália, randomizaram 80 mulheres na pós-menopausa para receber placebo ou 75 miligramas de resveratrol duas vezes ao dia por 14 semanas. Testes para avaliar a cognição, seguidos por questionários para avaliar o humor e sintomas depressivos, foram administrados no início e no final do estudo. A avaliação ultrassonográfica transcraniana por Doppler das artérias cerebrais médias mediu a resposta cerebrovascular (indicada por alterações na velocidade do fluxo sanguíneo) a estímulos cognitivos e níveis elevados de dióxido de carbono (que é um regulador do fluxo sanguíneo cerebral).

A suplementação de resveratrol foi associada com aumento de 17% na resposta cerebrovascular aos estímulos cognitivos e níveis elevados de dióxido de carbono (hipercapnia) em comparação com o placebo. O desempenho cognitivo geral, bem como a memória semântica e verbal melhoraram significativamente entre aqueles que receberam resveratrol em comparação com o grupo placebo. Diferenças na resposta cerebrovascular aos testes cognitivos foram correlacionadas com as diferenças no desempenho cognitivo global. Humor também tendeu a melhorar e ansiedade foi significativamente reduzida em mulheres que receberam resveratrol.

“Este é o primeiro estudo a demonstrar os benefícios da suplementação crônica de resveratrol no desempenho cognitivo e na resposta cerebrovascular à hipercapnia e aos estímulos cognitivos”, anunciam os autores Hamish M. Evans e colegas. “Nós supomos que o resveratrol estimula seus benefícios na cognição e também no humor através de sua capacidade de modular a perfusão cerebral durante os períodos de demanda”.

“Enquanto os mecanismos exatos ainda estão para ser confirmados, nós demonstramos que a suplementação diária de resveratrol por 14 semanas não foi apenas tolerável, mas foi capaz de melhorar as medidas de humor e desempenho cognitivo e este último pode ser pelo menos parcialmente mediado através de melhorias na capacidade de resposta dos vasos cerebrais para se dilatar durante as demandas cognitivas “, concluem. “Os resultados desses estudos são um importante passo em frente nas estratégias preventivas para retardar o declínio cognitivo acelerado em nossa população que está envelhecendo”.