Ômegas ajudam a manter a saúde do organismo em dia

26/04/2016 00:00

Existem vários óleos no mercado, além do nosso azeite de todo dia. Então, por que não variar de vez em quando. Fazendo isso, nós vamos colher os benefícios dos vários ômegas presentes na natureza para termos um organismo saudável e equilibrado. A maioria deles possui grandes semelhanças quanto às suas propriedades benéficas, já que estamos tratando de ácidos graxos essenciais, ou seja, gorduras boas que temos que ingerir por meio da alimentação, pois nosso organismo não produz.

Estudos mostram que os ômegas podem diminuir a pressão arterial, reduzir os níveis de colesterol, triglicérides e LDL (colesterol ruim) e aumentar o HDL (colesterol bom), protegem o coração e funcionam como antioxidantes, prevenindo incidência de câncer e envelhecimento precoce. Além disso, são altamente emolientes, o que facilita o trânsito intestinal, sendo indicado para prisão de ventre ou intestino preguiçoso.

Ômega 3

O queridinho dos ômegas é realmente uma estrela. Bom para inúmeros processos no organismo, muitos ainda nem relatados no meio científico, é considerado um santo remédio natural. Ele dificulta o desenvolvimento de processos inflamatórios, diabetes, resistência à insulina, obesidade, hipo ou hipertireoidismo, combate a osteoporose, melhora o funcionamento das atividades do cérebro, como memória, raciocínio em adultos e crianças, além de evitar doenças autoimunes, como lúpus, rosácea etc. O ômega 3 é encontrado em grande quantidade no óleo de linhaça e em menor no óleo de canola e óleo de soja.

Ômega 6

Facilmente encontrado na nossa alimentação (carnes, ovos, leite), principalmente no óleo de girassol, o ômega 6 pode ser perigoso pelo excesso e não pela falta. Ele auxilia na cicatrização, evita queda de imunidade, atenua queda de cabelo e pode aumentar a queima de gordura corporal. Mas ele só tem esses benefícios quando consumido em quantidade adequada e não em excesso como acontece nos dias de hoje. A alimentação ocidental nos leva a ter altos consumos de ômega 6, o que leva a um desequilíbrio metabólico, podendo aumentar ainda mais os processos inflamatórios (diabetes, obesidade etc). Para que isso não ocorra, devemos ingerir doses maiores de ômega 3 no dia-a-dia, equilibrando os efeitos desses dois nutrientes.

Ômega 7

Pode ser encontrado na secreção sebácea natural da pele, principalmente nos bebês, crianças e adolescentes e, por isso, é ótimo para a pele e para a limpeza de pele. Encontramos o ômega 7 no óleo de macadâmia. À medida que ocorre o envelhecimento, a quantidade desse ácido graxo na pele diminui e, por isso, é interessante substituir o seu gel de limpeza de pele, pelo óleo de macadâmia. Você vai ter uma pele (principalmente a do rosto) mais viçosa.

Ômega 9

Participa do nosso metabolismo, desempenhando papel fundamental na síntese dos hormônios e na regulação da produção de cortisol, um dos hormônios responsáveis pela armazenagem de gordura na região abdominal, ou seja, o ômega 9 tem o grande poder de afinar a cintura! Não é uma maravilha? Encontramos esse tipo de ômega no azeite de oliva extra virgem e no óleo de coco.

Na prática a minha dica é fazer um mix de óleos funcionais e no lugar do azeite puro de todo dia, usar esse mix na refeição. Veja as receitas, o seu corpo agradece!

FONTE: minhavida.com.br