Dhea - Hormônio do Longevidade, o que é ? Para que Serve ?

11/07/2021 08:51

DHEA é um dos hormônios mais abundantes na corrente sanguínea.

Com a idade, os níveis de DHEA diminuem. E especialistas recomendam o hormônio DHEA como uma estratégia para retardar o envelhecimento. Existem agora centenas de artigos publicados comprovando as propriedades de promoção da juventude do DHEA. E se tornou um suplemento antienvelhecimento popular.

Mas o que é DHEA?

 

A desidroepiandrosterona ( HEA  é um hormônio derivado do colesterol e da pregnenolona.

É produzida pelas glândulas suprarrenais, localizadas logo acima dos rins e em pequenas quantidades nos testículos nos homens e nos ovários nas mulheres.

DHEA atua como um precursor - a matéria-prima - para a produção dos hormônios sexuais testosterona e estrogênio.

Ele também tem efeitos hormonais diretos por todo o corpo.

Impacto sobre os hormônios sexuais

As glândulas suprarrenais, testículos e ovários precisam de DHEA para produzir testosterona e estrogênio adequados.

À medida que os níveis de DHEA caem com a idade, menos testosterona e estrogênio são produzidos.

Os baixos níveis desses hormônios sexuais contribuem para a perda de vitalidade e eventual fragilidade em homens e mulheres mais velhos.

Níveis mais baixos de DHEA estão ligados a outros problemas de saúde e uma diminuição da qualidade de vida.

Em homens mais velhos, a baixa testosterona resulta em disfunção erétil , queda na libido, perda de massa muscular e densidade óssea, tendência à depressão e diminuição da função cerebral. 

Em mulheres mais velhas, os baixos níveis de estrogênio estão associados à perda da libido, junto com ondas de calor, mudanças de humor, fadiga, dores de cabeça, enfraquecimento dos ossos e risco de fraturas ósseas. 

Ao aumentar os níveis de DHEA, ajudamos a fornecer ao corpo parte da matéria-prima necessária para a produção de testosterona e estrogênio.

Em geral, conforme os homens envelhecem, o DHEA tende a aumentar o estrogênio mais do que a testosterona. O oposto acontece com as mulheres , onde o DHEA tende a aumentar a testosterona mais do que o estrogênio.

No entanto, a direção do DHEA é influenciada pela genética, dieta, estilo de vida e níveis de gordura visceral. A melhor maneira de um indivíduo avaliar se o DHEA está indo mais para a testosterona ou o estrogênio é por meio de exames de sangue que medem os níveis de DHEA-Stestosterona e estradiol. 

Efeitos sistêmicos do DHEA

Embora o DHEA ajude a produzir hormônios sexuais, ele também tem um impacto direto e amplo nos tecidos do corpo.

Os baixos níveis de DHEA têm sido associados ao envelhecimento prematuro e ao encurtamento da vida útil, juntamente com um risco aumentado de: 

  • · Declínio cognitivo e demência,
  • · Doença cardiovascular,
  • · Osteoporose e fraturas ósseas,
  • · Depressão,
  • · Disfunção sexual,
  • · Inflamação e distúrbios inflamatórios, e
  • · Fragilidade.

Os níveis de DHEA atingem o pico entre as idades de 20 e 30 anos e, em seguida, diminuem a uma taxa de cerca de 5% a cada ano . 

Uma forma eficaz de aumentar os níveis de DHEA no sangue em adultos mais velhos é tomando DHEA oral .

DHEA e longevidade

 

O impacto do DHEA vai muito além dos problemas de qualificação de vida.

Níveis baixos estão associados a um risco aumentado de vários distúrbios da idade avançada, incluindo doenças cardiovasculares, distúrbios inflamatórios e distúrbios metabólicos. 

Manter os níveis juvenis de DHEA pode ajudar a evitar essas doenças, levando a uma vida mais longa e saudável.

Além de seu impacto sobre a doença, o DHEA também demonstrou uma associação com a longevidade.

Portanto, muitos fatores de qualidade de vida que se deterioram com a idade, como função sexual, humor, função cognitiva e saúde física, estão associados a baixos níveis de DHEA.

O exame de sangue pode ajudar a identificar indivíduos com níveis baixos e orientar quanto a ingestão oral de DHEA é necessária para restaurar os níveis juvenis, para ajudar a evitar o envelhecimento e uma diminuição da qualidade de vida.